• Fluxxo

“Se candidate mulher!”: a iniciativa que tem como objetivo alocar mulheres no mercado de trabalho



Mesmo consistindo em maioria na população brasileira, as mulheres são menos valorizadas e têm conquistado menor espaço no mercado de trabalho. Isso começa desde a fase de seleção, muitas mulheres não se candidatam se não preencherem todos os requisitos da vaga.

Para começar a mudar essa realidade, a Jhenyffer Coutinho lançou, em 2020, um projeto chamado “Se Candidate Mulher!”, formado por uma rede de mulheres que ajudam umas às outras a conquistar seu espaço no mercado de trabalho através de mentorias, conteúdos, divulgação de vagas, entre outras coisas.

Conversamos com Jhenyffer sobre essa iniciativa que, em pouco tempo, já conseguiu empregar dezenas de mulheres. Confira!

Fale um pouco pra gente sobre o que é o “Se Candidate Mulher” e como surgiu essa iniciativa?

Em 2017, participei de um workshop de autoconfiança feminina e me deparei com uma pesquisa da HP realizada há alguns anos. Um dos dados dessa pesquisa era que a maioria das mulheres só se candidatava a uma vaga de emprego quando possuía 100% dos pré-requisitos, enquanto os homens conseguiam o mesmo com apenas 60% dos pré-requisitos. No momento, eu super me identifiquei, porque eu já deixei de me candidatar em várias vagas porque faltava uma ou outra coisa. Paralelamente a isso, eu era líder numa organização, na qual, juntamente com o meu time, era responsável por todos os processos seletivos. Eu tinha muita dificuldade de encontrar as mulheres em meio às inscrições, mesmo quando a vaga era direcionada a mulheres; ainda assim, os homens iam lá e se candidatavam.

Isso ficou na minha cabeça por um tempo. Em 2020, resolvi tirar um ano mais tranquilo e vim passar uma temporada nos EUA. O fato de ter mais tempo, atrelado ao tanto de mulheres atingidas pela pandemia e pela crise que se instaurou no Brasil, com várias delas sendo demitidas, me fez pensar que eu podia fazer algo.

Ninguém aprende a fazer um currículo, ter um bom LinkedIn durante a escola ou a faculdade ou até mesmo como se portar em uma entrevista. Eu possuía esse conhecimento, de modo que o “Se Candidate Mulher!” surgiu dessa vontade de ajudar as mulheres a colocarem no papel as mulheres FODAS que elas são. E assim, consequentemente terem mais coragem para se candidatarem nas vagas e se prepararem melhor.

Na prática, como funciona o projeto?

A iniciativa tem 3 formas de atuação:

- Produção de conteúdo: Acreditamos que a informação é a chave para a mudança da realidade da empregabilidade feminina no Brasil. Damos insumo para que elas possam se sentir confiantes o suficiente para se candidatarem às vagas. Produzimos conteúdo gratuito nas nossas redes sociais ensinando sobre currículo, LinkedIn e demais etapas do processo seletivo. Assim como conteúdos de inspiração e assuntos sobre os quais precisamos falar.

- Rede de apoio: Formamos uma comunidade de mulheres engajadas em ajudar umas às outras na procura de emprego. Estamos presentes no Whatsapp, LinkedIn e Telegram e diariamente ajudamos umas às outras.

- Mentoria: Selecionamos mensalmente mulheres para serem mentoradas gratuitamente em 5 pilares: carreira, autoconhecimento, currículo, LinkedIn e oratória.

Qual a importância de ideias como essa para o empoderamento e a representatividade das mulheres?

As estatísticas e dados de empregabilidade feminina são desanimadoras. E precisamos urgentemente fazer algo pra mudar isso. Pra você ter uma ideia, recentemente saiu uma matéria dizendo sobre o recorde de mulheres na liderança que poderia ser uma notícia incrível se esse número não fosse 7,6%. Além disso, segundo o fórum econômico mundial a equidade salarial entre gêneros acontecerá daqui a 257 anos. Precisamos de mais mulheres dentro das organizações, precisamos que elas levantem essas bandeiras independente do cargo que elas atuem. Enquanto a gente só reclamar e não fizer nada sobre isso, nada vai mudar.

Quantas mulheres já conseguiram algum emprego ou recolocação através do “Se Candidate Mulher”?

Estamos fazendo esse mapeamento, no nosso grupo do WhatsApp tivemos a vigésima mulher recolocada nesta semana. O que é um motivo de muita alegria pra gente.

Para uma mulher ser mentora no projeto, o que ela deve fazer?

Hoje o nosso programa de mentoria é bem profundo e complexo e dura 4 semanas. No formato em que está não conseguimos absorver mais mentoras, mas eu já estou pensando em algum outro tipo de mentoria em que possamos não só ter mais mentoras, como ter mais mulheres mentoradas.

O Brasil é um dos países que pior remunera as mulheres no mundo, mesmo elas sendo a maioria da população. Por que vocês acham que isso acontece e como se pode mudar essa realidade?

O mundo dos negócios é masculino, vamos falar novamente em representatividade. É importante termos mulheres na tomada de decisão pra que coisas como essas não aconteçam mais. E pra termos mais mulheres lá em cima, precisamos mudar a base também, contratando mulheres em todos os níveis. Precisamos de todos, homens e mulheres. Homens que acreditem verdadeiramente nessa causa e estejam dispostos a aprender como colocar mais mulheres e o quanto é positivo dentro das organizações. E de mulheres que ajudem outras mulheres, que lutem por outras mulheres.

Qual dica você deixa para as mulheres que estão em busca de espaço no mercado de trabalho atualmente?

Se Candidate Mulher! Brincadeiras à parte, mais uma vez, que as mulheres são incríveis e capacitadas eu não tenho dúvida, a gente só precisa aprender a como colocar isso num processo seletivo, a gente está aqui para ajudá-las nisso. Precisamos ensinar coragem para as mulheres e não a perfeição. O que eu posso dizer pra elas é que ninguém é responsável pela carreira que elas querem ter, somente elas, então elas precisam assumir a rédea desse jogo.

Para conhecer mais do projeto, siga o Insta https://www.instagram.com/secandidatemulher/ . Fique de olho em nossos conteúdos também! #SegueaFluxxo

80 visualizações