• Fluxxo

Muito mais do que ofertas: veja 3 formas diferentes de vender na Black Friday



Mesmo com a crise gerada pela pandemia, a Black Friday de 2020 deve ser a maior da história, principalmente para o e-commerce. Segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), a estimativa é de um crescimento de 77% nas vendas em relação à edição de 2019, atingindo a marca de R$ 6,9 bilhões.


Esse número considera apenas o período de quinta-feira (26) até a segunda (30), não levando em conta o faturamento com as promoções que vêm rolando desde o início do mês.


Aliás, é sobre isso que queremos falar. Já há muito tempo, a Black Friday não se limita só à última sexta-feira do mês. Cada vez mais as marcas estão estendendo suas promoções e criando novas alternativas de atrair o consumidor para que ele se torne um cliente fiel.


Afinal, para se destacar em meio a tanta concorrência, é preciso ser criativo. Por isso, separamos algumas ideias de ações para você ficar por dentro de algumas alternativas.


AMAZON E SUA PRÓPRIA BLACK FRIDAY


Por que participar de uma campanha de promoção junto com todo mundo se você pode ter a sua própria? É isso o que faz a Amazon, com o Prime Day. Foram dias de promoções exclusivas em outubro e que geraram mais de 3,5 bilhões de dólares de lucro, somando todos os 19 países participantes.


MAGAZINE LUIZA E A CAIXA MISTERIOSA


A empresa criou caixas secretas, que custam entre R$ 99 e R$ 999, para os clientes comprarem sem saber o que tem dentro. O produto, no mínimo, custa o que ele pagou, assim ele não sai no prejuízo, mas o objetivo é ganhar muito mais.


Já pensou dar R$ 99 em uma caixa e ganhar um celular ou notebook? Isso é possível!


Caso o cliente não se sinta satisfeito, ele pode devolver o produto em até 7 dias, seguindo o Código de Defesa do Consumidor.


A GUERRA DE FAST FOOD


Quem acompanha as maiores marcas de Fast Food sabe como elas disputam para ver quem oferece a melhor oferta ao consumidor. Em uma antiga edição da Black Friday, isso ficou ainda mais nítido.


Primeiro, O Burger King ofereceu um balde de batatas fritas no lugar do tamanho tradicional médio. Pra não deixar barato, o McDonalds inseriu um refil de batatas a sua oferta. Aí apareceu o KFC com baldes de frango em dose dupla.


Promoções e vantagens para tudo o que é gosto, ou seja, quem ganha mesmo é o consumidor, que pode aproveitar o que quiser.


CONCLUSÃO


A Black Friday não deve ser restringida a um só dia, mês ou até mesmo a uma só campanha. Ela pode ser explorada de diversas formas, em meses que uma empresa fatura menos, ou nos quais comemora aniversário, entre outras coisas.


O que se mantém sempre é o papel fundamental do marketing nessas ações. Em todos os casos, é preciso:


  • Dar destaque à campanha

  • Fazer conteúdos específicos

  • Focar na fidelização após a data

  • Conhecer bem a persona


Planejamento e inovação são a chave para uma Black Friday de sucesso!


E aí,curtiu o conteúdo? Continue nos seguindo e acompanhando novas dicas, informações e novidades do mundo do marketing


21 visualizações0 comentário