Storytelling para negócios: histórias que vendem

Atualizado: Set 6

Muito provavelmente você já ouviu falar sobre a importância de usar histórias para atrair a atenção das pessoas para a sua marca.



Mas você já se questionou sobre o poder que uma boa história pode gerar em quem ouve?


Estamos vivendo a Era da informação. Isso significa que, hoje, as ideias e o conhecimento são a moeda do século XXI. E, para vender ideias na forma de histórias - ou melhor, de boas histórias -, usamos um recurso chamado Storytelling.


O que é Storytelling?


Storytelling nada mais é que a arte de saber contar essas boas histórias em narrativas envolventes. Porque, claro, existe uma grande diferença entre uma história, uma boa história e uma história realmente transformadora que cria confiança, alavanca as vendas e inspira as pessoas a irem em busca dos seus sonhos e objetivos.


Pensa só: fatos isolados não geram comoção. Por outro lado, uma história emocional e vívida é muito mais persuasiva do que um monte de dados em 85 slides. Consegue diferenciar? Histórias inspiram, ganham um espaço na memória e motivam as pessoas a agirem e comprarem suas ideias porque geram identificação e reconhecimento.


O storytelling permite que a sua marca vá além do universo corporativo e se torne mais próxima do cliente. Fazer a sua marca contar a história única que ela tem, transformá-la em fonte, torna a sua empresa mais humana, mais próxima das pessoas, pois impacta e cria conexões com elas.


Exemplos de storytelling bem implementados!


Comercial Budweiser Super Bowl - Amor entre cachorro e cavalo - YouTube


Um exemplo foi a propaganda da Budweiser transmitida na 48ª edição do Super Bowl. O enredo foi uma história de amizade entre um cavalo Clydesdale e um filhote de cachorro. A marca de cerveja deu continuidade ao tema desenvolvido no ano anterior, usando seu símbolo para representar as relações de afeto.


Mas e a cerveja, onde entrou nisso tudo? A marca da Budweiser apareceu diversas vezes no boné, mas o que importou, de fato, foi a história de amizade entre os dois personagens principais, que encantou o público e se tornou o fato mais adorado do Super Bowl. No contexto da campanha, a mensagem diz muito mais do que simplesmente querer vender a Budweiser, vai além.


A ideia do comercial é, acima de tudo, mostrar uma relação de amizade, usando o apelo emocional com bichos e fofura que prendeu a atenção do público. Além disso, o produto, quando aberto, traz a emoção de que se precisa para desfrutar desses momentos com amigos. Todas as campanhas da Budweiser possuem um foco em temas que valorizam a amizade e o compartilhamento de momentos com pessoas especiais. Está aí um bom exemplo de marca que já entendeu a importância de usar narrativas envolventes para se conectar com o público.


Como isso ajuda a posicionar o seu negócio?


O storytelling permite que a sua marca exponha sua essência, valores, e posicione claramente a mensagem que deseja passar. Sua marca deve ter um objetivo claro em mente: usá-lo para inspirar, motivar e, por fim, convencer as pessoas a tomar a ação desejada, envolvendo seu potencial cliente em sua narrativa.


A chave do sucesso é criar uma intenção de marca. Ou seja, comunicar o que você quer deixar como marca em cada ambiente e em cada relação! A sua marca já existe de forma livre, se desenvolvendo constantemente. Portanto, a intencionalidade estará trabalhando uma postura, uma posição específica, uma história.


Para isso, é preciso que você entenda e valorize a história da sua marca. Marketing tem a ver com valores. Entender as qualidades e também os defeitos. Vivemos em um mundo muito barulhento em que não temos a oportunidade de fazer com que as pessoas se lembrem tanto de nós. Por isso, é importante que sejamos sempre muito claros sobre o que queremos que elas saibam a nosso respeito. Isto é, deixe sua promessa de marca escancarada para quem puder ver.


O que sua marca faz? Em que ajuda? O que vende? Pense na transformação que seu produto ou serviço pode promover. Como ele ajuda a solucionar problemas! Alie tudo a uma comunicação real, objetiva e cirúrgica.


Lembre-se: o cérebro humano não presta atenção a coisas chatas! As pessoas querem ser engajadas e entretidas. Boas histórias captam a atenção do público. Ninguém vai ouvir uma história se não estiver prestando atenção. Da mesma forma, se não estiverem prestando atenção, não irão absorver a mensagem passada e, consequentemente, não agirão, isto é, não comprarão seu produto/serviço.


O papo foi longo, e o processo de storytelling também é. Mas quando se tem orientação, profissionais capacitados e intenções, a caminhada é leve. Por isso fazemos um convite, gostaria de contar a sua história com a Fluxxo?



Por Nathalia Maneiro e Raissa Gomes.

62 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo